Diário do bebê: 2º mês

assinatura_camilla

E Pedro chega aos dois meses. Por aqui pouca coisa mudou na rotina. Na verdade a gente não percebe os dias, as horas… simplesmente as coisas vão acontecendo e você vai levado, lidando.

pedro_bolo_mesario_bombeiro
Bolo para comemorar o segundo mês do pequeno Pedro

Ele é um bebê muito fofo. Passo um tempão lambendo a cria, admirando. Não fossem as terríveis cólicas, tudo já estaria tão bom! Como falei no relato do primeiro mês, as cólicas tiram qualquer um do sério. Dizem que como mágica elas passam por volta do terceiro ou quarto mês, mas que em casos mais extremos elas duram bem mais. Fico pedindo a Deus em orações para que essa fase punk passe logo e eu possa cada dia mais curtir o meu bebê. Já pensei em escrever um post só sobre isso e farei assim que tiver a experiência concluída. Só assim pra tentar ajudar a alguém. Engraçado que pesquisando sobre isso eu achei vários relatos de mães enfrentando as crises, mas quase nenhum relato de como e quando passou. Vai ver a pessoa já enfrenta outro obstáculo e nem lembra mais do que se foi.

Sei que ainda não é recomendável sair de casa e só fiz isso quando foi necessário. Mesmo ir a casa de familiares é complicado, pois o choro dele na hora da dor me deixa tensa e as pessoas ao redor começam a incrível sabatina de adivinhar o motivo da cólica. E aí a coisa fica chata pois as insinuações começam. E eu tenho que afirmar que já tentamos:

– mudar completamente e radicalmente minha alimentação;

– flagass / simeticona / luftal;

– colikids;

– funchicória;

– funchicalm;

– ofurô;

– massagem;

– compressa com bolsinha morna ou fralda morna;

– exercícios tipo bicicletinha;

– técnica do harvey karp;

– barriga com barriga no papai;

Etc… Etc… Etc…

Confesso que o pior comentário de todos é: “Será que não é seu leite?!”

remedios_colica_bebe_recem_nascido
Remédios que já tentei para ajudar na cólica de Pedro

Ai que meu coração se entristece mesmo. Como meu leite faria mal ao meu próprio filho e como alguém tem coragem de te dizer isso? A médica já falou que é raro bebê ter intolerância à lactose e a alergia a proteína do leite de vaca, a tal APLV, vem recheada de outros sintomas os quais Pedro não apresenta. Então chegamos a conclusão que é dele mesmo, que é o processo natural de maturação do seu organismo e que uma hora vai passar. Fé que passa!

Em relação à amamentação exclusiva, eu percebi umas coisas importantes essa semana. A dedicação e entrega é total, 100%. Isso acaba dificultando as saídas, idas ao mercado ou até coisas simples do dia a dia. Como ele ainda mama em intervalos bem curtos, consigo dar um pulo rápido em algum lugar próximo e ficar fora por no máximo uma hora. Até então tudo bem, você consegue lidar. Mas uma amiga passou por uma situação muito triste que me deixou preocupada. Ela também está em aleitamento exclusivo e precisou de atendimento médico de urgência. No hospital não deixaram a bebê ficar perto dela e nem a transferiram pra pediatria, onde ela poderia ficar com sua filha e a amamentá-la quando preciso. Foi uma insensibilidade tremenda, mesmo a mãe chorando e explicando a situação. Me pus no lugar dela e fiquei pedindo a Deus que nada parecido aconteça comigo e Pedro. Eu não saberia o que fazer!

Eu mamãe:

Feliz e aos poucos mais tranqüila com os cuidados diários e aprendendo a desvendar o que Pedro precisa. Essa experiência toda me fez perceber o quão importante é você ter ao seu lado, além de um marido, um pai, um parceiro de verdade. A chegada de um bebê é uma prova de fogo ao casamento também, e se você tem ao seu lado alguém compreensível, disposto a embarcar na aventura com você e te dando todo o suporte necessário, você tem muita sorte! Eu agradeço a Deus ter ao meu lado o meu marido, que me apoia, entende e ainda põe Pedrinho pra dormir como ninguém! 🙂 Nas horas em que bate o desespero e eu preciso chorar, ele está comigo pra dizer que vai ficar tudo bem. E fica! Engraçado que você passa uma noite difícil, chora, fica sem saber o que fazer quando o neném chora sem parar e quando o dia amanhece você se dá conta de que passou, vocês sobreviveram e já estão prontos pra um novo dia.

Eu mulher:

Ainda me sentindo um trapo ambulante, confesso. Cabelo sem corte, unhas por fazer, tá tudo fora do lugar! Estou fazendo drenagem linfática e outros tratamentos sempre que posso e em breve mostro aqui os resultados. Meu especial agradecimento à Marcela, da Modellati, que tem dedicado um tempo pra cuidar de mim com todo carinho! 🙂

No mais, vamos rumo ao terceiro mês, o mês dos milagres!

Beijos!

Se você gostou do post, compartilhe em suas redes sociais:

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


UA-36669984-1