Diário do bebê: 9º mês

assinatura_camilla

Olá meninas!

Dei uma pausa no diário do bebê pois não havia muitas novidades… por aqui a introdução alimentar foi ótima, Pedro tem se alimentado bem, é claro, há dias e dias. Tem dias que ele tem birra dos alimentos mas no geral é comilão. Eu faço as papinhas de frutas, as sopinhas, os cremes… ele ainda mama muito e não consegui tirar as mamadas da madrugada! Cansa muito, mas como fico boa parte do tempo sozinha, principalmente quando meu marido tá de plantão, não consigo dar conta de lidar com muito choro nas madrugadas e ofereço logo o peito. É muito cansaço lidar sozinha por 24, 48, 72 horas… optamos por cama compartilhada desde quando Pedro sofria com as terríveis cólicas e assim estamos até hoje. Ainda bem que nossa cama é queen, ou essa experiência seria uma loucura! Hahah

Screen Shot 2016-05-05 at 10.00.09 PM
Papinhas que fiz para o meu P

Pedro começou a sentar com firmeza aos seis meses e no meio dos sete começou a engatinhar. A casa virou uma bagunça e um campo minado: tive que colocar protetores em tudo, pois ninguém segura esse bebê! E nossa Pug, Lupita, ficou maluca com essa história. Pedro não a deixa em paz! Hahaha

Nesse meio tempo também enfrentamos nossa primeira doencinha. Ele teve, aos oito meses, uma infecção de garganta que não é comum em bebês da idade dele, amigdalite. Teve que ir pra o antibiótico. Muita febre, dor de cabeça, ficou malzinho mesmo. Graças a Deus passou mas sofremos juntos, eu, ele e o papai.

São nove meses do meu pingo de gente. O que significa que aqui fora nesse mundão de Deus cheio de sons e cores, ele já está comigo pelo mesmo tempo que esteve em mim. Como foram fáceis aqueles nove meses dentro do meu ventre, dando chutes e cambalhotas e protegido de tudo e todos. Eu não imaginava o que estava por vir…

Screen Shot 2016-05-05 at 10.01.12 PM
Bolinho para comemorar os 7 meses do meu pequeno P

Eu mudei. As mudanças físicas e descobertas de Pedro nesses seus 9 meses foram tantas que posso comparar as minhas mudanças como pessoa. Foram inúmeras! Ele me faz melhor. Ele me tornou uma outra pessoa. Ele abriu meus olhos contra os preconceitos, os prejulgamentos, as dores, e ao famoso “as palavras têm poder”.

Com ele eu aprendi a respirar fundo, contar até dez, economizar, a dar muiiiiito mais valor aos meus pais e a amar o meu marido de uma outra forma, como pai. Que poder incrível é descobrir-se mãe, começar uma família e sentir tanta emoção inexplicável em palavras. Fácil? Nunca foi! Há dias de choro e dias de risadas infinitas… que sorte a minha o privilégio de lamber minha cria o tempo todo, desde o seu primeiro chorinho.

Por vezes eu pensei que não conseguiria. Por vezes eu questionei minhas decisões como mãe. Estaria eu certa? Agora não decido mais por mim e minhas escolhas refletem diretamente na vida de mais alguém. É muita responsabilidade! Tanta que as vezes um medo me provoca frio na barriga. Mas de alguma maneira a gente aprende. Aprende o que é certo e sentimos que somos as mães que podemos ser.

Screen Shot 2016-05-05 at 10.00.26 PM
Bolo para comemorar os 8 meses de Pedro

Cada experiência é única, eu sei. Comparar bebês é um crime contra as mães de primeira viagem. Não existe comentário mais desagradável do que aquele velho: “mas o filho de fulana vai no colo de todo mundo, dorme a noite toda, não chora assim, não faz isso, não faz aquilo…” PARE! Pare de tentar criar uma fórmula de criação perfeita, ela não existe. Toda mãe está dando o melhor de si e tem feito das tripas coração pra isso. As pessoas poderiam substituir essas comparações por um “Você tá bem? Tá precisando de algo?”. Mas criticar parece sempre ser a saída mais fácil. Isso foi, sem dúvidas, a parte mais difícil de aprender a lidar. Eu ainda aprendo. Dia após dia.

São nove meses sem dormir uma única noite inteira! São nove meses de amamentação. São nove meses de trocas de fralda, banhos, remedinhos, cuidados, carinho, cheirinho, amor, abraços, beijinhos, denguinhos, sonecas, chorinhos, mais amor. Mais amor! MAIS AMOR! Quanto amor será que ainda cabe em mim? Como explicar um querer bem tão sem medidas, tão intenso e verdadeiro?

Ser mãe me transformou por completo.
Que sorte a minha!
Que sorte a nossa!
Que sorte é ter meu presente todos os dias, juntinho, coladinho ao meu coração.

Feliz 9 meses, meu pequeno P.

Beijos!

Se você gostou do post, compartilhe em suas redes sociais:

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*


UA-36669984-1